ANTI-RH

A imunoglobulina anti-Rh é um anticorpo pronto, obtido a partir de sangue humano, que neutraliza o fator Rh. Esse anticorpo previne a eritroblastose fetal.

Indicações


É indicada para mulheres do grupo sanguíneo Rh- negativo grávidas de bebês Rh+ positivo e em caso de transfusão sanguínea com sangue incompatível em pessoas Rh negativas.




Quem pode usar?


A imunoglobulina anti-Rh pode ser recomendada nas seguintes situações: 1. Se você é Rh(D)-negativa e está grávida, na ocorrência de uma das situações abaixo Se está grávida ou recentemente deu à luz a um bebê Rh(D)-positivo Se você sofreu aborto ou ameaça de aborto Se apresentou complicações graves na gravidez, como gestação fora da cavidade uterina (gravidez ectópica) ou desenvolvimento de tumor do tecido da placenta ou das membranas (mola hidatiforme); Quando é provável que o sangue de seu bebê tenha passado para seu próprio sangue (hemorragia transplacentária resultante de hemorragia antes do parto). Isso pode ocorrer, por exemplo, se você tiver tido sangramento vaginal durante a gravidez. Quando seu médico precisar realizar testes para verificar se há deformidades no feto (amniocentese, biópsia coriônica); Quando realizar uma manobra para fazer a cabeça do bebê virar em direção à pélvis (procedimentos de manipulação obstétrica, por ex. versão externa); Quando você teve algum ferimento por acidente em seu estômago ou intestino (trauma abdominal). 2. Se você é uma pessoa Rh(D)-negativa e acidentalmente recebeu transfusão de sangue Rh(D)-positivo (transfusão incompatível) ou outros produtos contendo células vermelhas do sangue Rh(D)-positivas.




Contraindicações


É contraindicada em caso de hipersensibilidade (anafilaxia) a imunoglobulinas humanas (anticorpos) ou qualquer um dos componentes do produto. Em caso de grave redução do número de plaquetas (trombocitopenia) ou outros transtornos da coagulação, a imunoglobulina poderá ser aplicada por via intravenosa, em regime de internação e sob cuidados médicos.




Eventos adversos


Os eventos mais comuns são dor e sensibilidade no local da injeção. Reações raras: febre, calafrios, mal-estar, dor de cabeça, manchas na pele, coceira, náusea e/ou vômito, pressão baixa, batimento cardíaco acelerado, dor articular, dificuldade respiratória, anafilaxia.




Esquema de doses


1. Em gestantes Rh negativas Durante a gestação: uma dose entre a 28ª e a 30ª semana de gestação. No pós-parto: administração intravenosa (ainda na maternidade) a critério médico, realizada da forma mais breve possível, dentro de 72 horas após o parto, mesmo nos casos em que houve profilaxia durante a gestação. Após amostragem de vilosidade coriônica: tão logo quanto possível e no máximo 72 horas após o evento. Em caso de intervenções e incidentes ocorridos até 12 semanas de gestação, aplicar a dose o mais cedo possível e no máximo até 72 horas após o evento de risco. 2. Após transfusões incompatíveis 20 microgramas de imunoglobulina anti-Rh(D) para cada 2 mL de sangue Rh positivo transfundido ou por cada 1 mL de concentrado de hemácias. Neste caso, recomenda-se a via intravenosa e aplicação em ambiente hospitalar. Os pacientes devem ser observados por pelo menos 20 minutos após a administração.





ANTI-VSR | Palivizumabe

O vírus sincicial respiratório (VSR) é uma das causas de infecções das vias respiratórias durante o primeiro ano de vida, além de ser um dos principais responsáveis pela pneumonia e bronquiolite em bebês.

A prevenção contra o VSR pode ser feita por meio da imunização passiva usando a imunoglobulina monoclonal. (Palivizumabe)

Indicações


É indicada para mulheres do grupo sanguíneo Rh- negativo grávidas de bebês Rh+ positivo e em caso de transfusão sanguínea com sangue incompatível em pessoas Rh negativas.




Quem pode usar?


A imunoglobulina anti-Rh pode ser recomendada nas seguintes situações: 1. Se você é Rh(D)-negativa e está grávida, na ocorrência de uma das situações abaixo Se está grávida ou recentemente deu à luz a um bebê Rh(D)-positivo Se você sofreu aborto ou ameaça de aborto Se apresentou complicações graves na gravidez, como gestação fora da cavidade uterina (gravidez ectópica) ou desenvolvimento de tumor do tecido da placenta ou das membranas (mola hidatiforme); Quando é provável que o sangue de seu bebê tenha passado para seu próprio sangue (hemorragia transplacentária resultante de hemorragia antes do parto). Isso pode ocorrer, por exemplo, se você tiver tido sangramento vaginal durante a gravidez. Quando seu médico precisar realizar testes para verificar se há deformidades no feto (amniocentese, biópsia coriônica); Quando realizar uma manobra para fazer a cabeça do bebê virar em direção à pélvis (procedimentos de manipulação obstétrica, por ex. versão externa); Quando você teve algum ferimento por acidente em seu estômago ou intestino (trauma abdominal). 2. Se você é uma pessoa Rh(D)-negativa e acidentalmente recebeu transfusão de sangue Rh(D)-positivo (transfusão incompatível) ou outros produtos contendo células vermelhas do sangue Rh(D)-positivas.




Contraindicações


É contraindicada em caso de hipersensibilidade (anafilaxia) a imunoglobulinas humanas (anticorpos) ou qualquer um dos componentes do produto. Em caso de grave redução do número de plaquetas (trombocitopenia) ou outros transtornos da coagulação, a imunoglobulina poderá ser aplicada por via intravenosa, em regime de internação e sob cuidados médicos.




Eventos adversos


Os eventos mais comuns são dor e sensibilidade no local da injeção. Reações raras: febre, calafrios, mal-estar, dor de cabeça, manchas na pele, coceira, náusea e/ou vômito, pressão baixa, batimento cardíaco acelerado, dor articular, dificuldade respiratória, anafilaxia.




Esquema de doses


1. Em gestantes Rh negativas Durante a gestação: uma dose entre a 28ª e a 30ª semana de gestação. No pós-parto: administração intravenosa (ainda na maternidade) a critério médico, realizada da forma mais breve possível, dentro de 72 horas após o parto, mesmo nos casos em que houve profilaxia durante a gestação. Após amostragem de vilosidade coriônica: tão logo quanto possível e no máximo 72 horas após o evento. Em caso de intervenções e incidentes ocorridos até 12 semanas de gestação, aplicar a dose o mais cedo possível e no máximo até 72 horas após o evento de risco. 2. Após transfusões incompatíveis 20 microgramas de imunoglobulina anti-Rh(D) para cada 2 mL de sangue Rh positivo transfundido ou por cada 1 mL de concentrado de hemácias. Neste caso, recomenda-se a via intravenosa e aplicação em ambiente hospitalar. Os pacientes devem ser observados por pelo menos 20 minutos após a administração.





©  2023 por Clínica Diagnuz-Medicina e Saude. CNPJ - 24.351.695/0001-14 e 24.351.695/0002-03 Resp. Técnico : Dr Paulo Henrique Ferreira CRM/PR 36063 - Todos os direitos Reservados - Diagnuz Medicina e Saúde - Registro de Marca 913750662